Símbolo e sabedoria prática

Autores:
  • Marco Heleno Barreto
Comentário do Pe. Paiva (Raul Pache de Paiva, SJ) diretor de redação da revista Mensageiro do Coração de Jesus, uma publicação de Edições Loyola Doutor em filosofia e graduado em psicologia, analista, o autor dedica-se particularmente ao pensamento de Jung. Ajuda perceber, ao longo da leitura, q... Ver mais

Sinopse

Comentário do Pe. Paiva (Raul Pache de Paiva, SJ) diretor de redação da revista Mensageiro do Coração de Jesus, uma publicação de Edições Loyola Doutor em filosofia e graduado em psicologia, analista, o autor dedica-se particularmente ao pensamento de Jung. Ajuda perceber, ao longo da leitura, que "a sabedoria prática observa tanto a indefinição ou desmedida das paixões e desejos quanto à indeterminação do mundo para realizar sua obra própria" (p 64). O mundo inacabado não é um deficiente crônico, mas um lugar de realização possível e desejável. Quem o ler ou estudar, sentirá que, como já os antigos defendiam, o mundo é uma tarefa que vale à pena empreender. Uma qualidade da obra muito evidente é que o autor pensa em diálogo com pensadores e psicólogos, desde Aristóteles aos contemporâneos. Sua bibliografia geral e as notas abundantes de rodapé satisfazem e impressionam ao leitor mais exigente. Curiosamente, uma obra que estuda o mal estar da modernidade e a contribuição positiva de Jung, seja perpassada de tanto ânimo e otimismo. A vantagem de ampla e crítica leitura é que lhe permite nos demonstrar a falha de uma pretensa, embora meritória, apresentação “científica” e “objetiva” da realidade humana, não percebe como é um positivismo ultrapassado, incapaz de dar conta do fenômeno humano (ver pp 318-319, paralelo conclusivo entre Freud e Jung). Mais informações sobre o livro Contra-capa A partir do reconhecimento de um vínculo profundo entre certas propostas contemporâneas de práxis psicoterapêutica e a dimensão prática da vida filosófica característica das escolas da Filosofia Antiga, o autor propõe, nesta obra, uma interpretação em chave ético-filosófica da Psicologia Analítica de Carl Gustav Jung como demonstração e explicitação daquele vínculo. A par de uma leitura original do pensamento de um dos maiores expoentes da psicologia do século XX, a reflexão aqui empreendida contribui para situar a experiência psicoterapêutica contemporânea no quadro mais amplo da modernidade, lançando luz sobre as relações entre a intenção de fundo que anima o projeto clínico da psicologia e o fenômeno cultural do niilismo, marca específica da modernidade, de onde emerge seu mal-estar.

Sobre o Autor

Marco Heleno Barreto
Marco Heleno Barreto é doutor em filosofia pela UFMG, é professor de filosofia na FAJE. Formou-se em psicologia pela UFMG e atua como psicólogo analista. Publicações por Edições Loyola: Imaginação simbólica - Reflexões introdutórias (2008), Símbolo e sabedoria prática -- C. G. Jung e o mal-estar da modernidade (2008), Pensar Jung (2012) e Homo imaginans - A imaginação criadora na estética de Gaston Bachelard (2016).

Características

Título:
Símbolo e sabedoria prática
Subtítulo:
C. J. Jung e o mal-estar da modernidade
Autor:
Marco Heleno Barreto; 
Dimensões:
14.00cm x 21.00cm x 1.80cm
Peso:
40g
Edição:
2
Data de Publicação:
11/03/2008
ISBN:
9788515033386
Páginas:
336
Código:
3.0001.00.11.825