Login  |   Cadastre-se   |   Fale Conosco  |   Trabalhe Conosco  |   Ajuda             Youtube  

25 de agosto de 2019
Carrinho Vazio
Você está em: Home >> Liturgia Diária


Compartilhe: Compartilhe no Facebook Compartilhe no Twitter

Liturgia do dia 06/07/2019


Leituras
Gn 27,1-5.15-29
Sl 134 (135),1-2.3-4.5-6 (R/. 3a)
Mt 9,14-17

13ª Semana do Tempo Comum

Sábado


Primeira Leitura: Gn 27,1-5.15-29

Deus sabe tirar o bem até do mal. 1E Isaac envelhecera, e seus olhos tinham enfraquecido a ponto de não mais ver. Um dia chamou Esaú, seu filho mais velho: “Meu filho!” — “Eis-me aqui”, respondeu ele. 2Disse-lhe Isaac: “Como sabes, estou velho e ignoro o dia de minha morte. 3Vamos, toma tuas armas, aljava e arco, e sai pelos campos, em procura de uma caça. 4Depois, prepara-me um bom assado, como é de meu gosto. Traze-o e eu comerei, porque quero abençoar-te antes de morrer”. 5Ora, Rebeca escutara a conversa de Isaac com Esaú. Esaú saiu para o campo em busca de caça. 15 Depois Rebeca foi buscar as melhores roupas de Esaú, que ela guardava consigo em casa, com as quais vestiu Jacó, seu filho caçula. 16Com as peles dos cabritos envolveu-lhe os braços e o pescoço. 17Entregou-lhe por fim o assado e o pão que preparara. 18Aproximou-se Jacó de seu pai e lhe disse: “Meu pai!”. Respondeu Isaac: “Eis-me aqui! Mas quem és, meu filho?”. 19E continuou Jacó: “Sou Esaú, teu primogênito. Fiz o que disseste; levanta-te, pois, assenta-te, e come da minha caça; depois abençoa-me”. 20 Isaac replicou: “Que é isto? Conseguiste achar assim depressa, meu filho?”. Respondeu Jacó: “Javé, teu Deus, me foi propício”. 21E Isaac falou a Jacó: “Chega mais perto, meu filho, para que possa apalpar-te. És tu aí, de fato, meu filho Esaú, ou não?”. 22 Jacó aproximou-se de seu pai, que o apalpou e disse: “A voz é de Jacó, as mãos porém são de Esaú!”. 23 Isaac não o reconheceu porque suas mãos estavam peludas, como as de seu irmão Esaú. Deu-lhe assim a bênção. 24Disse-lhe então: “És mesmo meu filho Esaú?”. Respondeu ele: “Sim, sou eu”. Tornou Isaac: 25“Traze-me então o assado, para eu comer; e depois abençoar-te-ei”. Jacó serviu-o e ele comeu; trouxe-lhe depois vinho e ele bebeu. 26Em seguida Isaac disse a seu filho: “Aproxima-te, meu filho, e beija-me”. 27Aproximou-se Jacó e o beijou; Isaac sentiu o odor de suas vestes e o abençoou nestes termos: “Eis o odor de meu filho como o odor de um campo que Javé abençoou. 28Que Deus te conceda o orvalho dos céus, os férteis terrenos, abundância de trigo e vinho novo! 29Que te sirvam os povos, que se prostrem as tribos em tua presença! Sê o senhor de teus irmãos, diante de ti se inclinem os filhos de tua mãe! Maldito seja quem te amaldiçoar, e quem te abençoar seja ele bendito!”


 


Salmo: Sl 134 (135),1-2.3-4.5-6 (R/. 3a)

R.: Louvai a Deus, porque é bom!


1Aleluia! Louvai o nome de Deus, louvai-o, servos de Deus; 2 vós, que habitais sua casa, o limiar do Senhor!

3Louvai a Deus, porque é bom, cantai seu nome suave. 4Pois a Jacó escolheu, quis Israel como herança.

5Eu sei que o Senhor é grande, maior que todos os deuses. 6Ele faz tudo o que quer, seja no céu ou na terra, seja no mar e no abismo.



Evangelho: Mt 9,14-17

14Então, os discípulos de João chegaram perto de Jesus e perguntaram: “Por que motivo nós e os fariseus jejuamos tanto e os teus discípulos não jejuam?”. 15 Jesus respondeu: “Será que os convidados para um casamento podem ficar tristes, enquanto o esposo está com eles? Tempo virá em que o esposo lhes será arrebatado, e então jejuarão. 16Ninguém costura um remendo de pano novo numa roupa velha, porque esse pedaço rompe a roupa e o rasgão fica maior. 17Nem se coloca vinho novo em velhos recipientes de couro, porque do contrário eles arrebentam, o vinho escorre e os recipientes se estragam. Pelo contrário, põe-se vinho novo em recipientes novos e ambos se conservam”.



Leituras: Diretório da Liturgia e da Organização da Igreja no Brasil 2019 - Ano C - São Lucas, Brasília, Edições CNBB, 2018.

Citações bíblicas: Bíblia Mensagem de Deus, São Paulo, Edições Loyola, 2016.

 


Boa Nova para cada dia




“Por qual razão nós e os fariseus praticamos jejuns, mas os teus discípulos não?” (Mt 9,14b).

Lembremo-nos de nossas considerações sobre o que Jesus disse aos fariseus no jantar em casa de São Mateus: Quero misericórdia e não sacrifício.

Ele queria dizer que a misericórdia divina era o que Ele, como Salvador, vinha trazer aos pecadores.

Jesus é a presença da bondade de Deus no mundo. Ele veio trazer aos pecadores a alegria do perdão.

Quando os discípulos de São João Batista perguntam a Jesus: “Por qual razão nós e os fariseus praticamos jejuns, mas os teus discípulos não?”, Jesus lhes dá a entender que Ele é a alegria do perdão de Deus aos pecadores. Portanto enquanto Ele estivesse neste mundo, este tempo devia ser considerado de festa, de anistia, de alegria geral. Ele usa precisamente a comparação com a alegria que domina as festas de casamento. Por isso diz, referindo-se a si como o noivo, e a seus discípulos como convidados: “Por acaso os amigos do noivo podem estar de luto enquanto o noivo está com eles?”.

A vinda de Jesus, o Salvador, ao mundo, é a alegria dos homens que Nele encontram o perdão, a recuperação da dignidade perdida pelo pecado, e tudo isto por ação do amor misericordioso de Deus revelado em Jesus Cristo.

Agradeçamos a Deus com coração sincero e feliz.



Autor: Pe. Valdir Marques, SJ, Doutor em Teologia Bíblica pela Pontifícia Universidade Gregoriana de Roma





Preencha seus dados abaixo e receba as novidades da Loyola.
Nome:
E-mail:
  
Sobre a Edições Loyola | Serviços Gráficos | Fale Conosco | Distribuidores e representantes | Revista Mensageiro | Liturgia Diária | Eventos | Política de Vendas | Política de Privacidade

Rua: Mil Oitocentos e Vinte e Dois, 341 - Ipiranga
CEP: 04216-000 - São Paulo - SP
Tel.: 11 3385-8500 | 2063-4275 | 3385-8501
Formas de Pagamento
Acompanhe
Youtube  
Certificados
© 2011 Edições Loyola . Todos os direitos reservados
Visualize este site com resolução mínima de 1024 x 768
DesignbyC10