Login  |   Cadastre-se   |   Fale Conosco  |   Trabalhe Conosco  |   Ajuda             Youtube  

24 de maio de 2019
Carrinho Vazio
Você está em: Home >> Liturgia Diária


Compartilhe: Compartilhe no Facebook Compartilhe no Twitter

Liturgia do dia 24/05/2019


Leituras
At 15,22-31
Sl 56(57),8-9.10-12 (R/. 10a)
Jo 15,12-17

5ª Semana da Páscoa

Sexta-Feira


Primeira Leitura: At 15,22-31

22Os apóstolos, presbíteros e toda a assembleia resolveram então escolher entre eles alguns homens e enviá-los a Antioquia junto com Paulo e Barnabé. Eram eles: Judas, Barsabás e Silas, homens de muito prestígio entre os irmãos. 23Por seu intermédio lhes foi enviada a seguinte carta: “Os apóstolos e presbíteros, vossos irmãos, aos irmãos que moram em Antioquia, na Síria e na Cilícia, provenientes do paganismo. Saudações. 24Fomos informados de que alguns dos nossos, sem nossa autorização, vos foram inquietar com certas afirmações, criando confusão em vossas mentes. 25Resolvemos por unanimidade escolher alguns representantes e enviálos a vós, junto com nossos queridos irmãos Barnabé e Paulo. 26Estes dois têm dedicado suas vidas à causa de Nosso Senhor Jesus Cristo. 27Enviamos, pois, Judas e Silas, para vos transmitir de viva voz as mesmas diretivas. 28 Porque o Espírito Santo e nós mesmos decidimos não vos impor nenhum outro peso além do indispensável: 29 abster-vos da carne imolada dos ídolos, do uso do sangue e da carne de animais estrangulados e das uniões ilegais. Fareis bem evitando isto tudo. Passai bem!”. 30Depois de se despedirem, os representantes desceram para Antioquia. Ali reuniram a assembleia e entregaram a carta. 31Foi feita a leitura e todos se alegraram com aquela mensagem animadora.


 


Salmo: Sl 56(57),8-9.10-12 (R/. 10a)

R.: Quero render-te graças entre os povos!

8Firme, bem firme está meu coração. Quero cantar-te, ó Deus, dizer-te salmos. 9Desperta, ó minha alma; ó harpa e cítara; despertarei, Senhor, a própria aurora.

10Quero render-te graças entre os povos, salmodiar teu nome entre as nações. 11Pois mais alto que os céus é o teu amor, tua fidelidade atinge as nuvens. 12Eleva-te, Senhor, por sobre os céus; refulja a tua glória sobre a terra.




Evangelho: Jo 15,12-17

12Este é o meu mandamento: amai-vos uns aos outros assim como eu vos tenho amado. 13Ninguém tem maior amor do que aquele que dá a vida por seus amigos. 14Vós sereis meus amigos se praticardes o que vos mando. 15 Já não vos chamo de servidores, pois o que serve não sabe o que faz o senhor. Mas eu vos chamo de amigos, porque vos dei a conhecer tudo quanto ouvi de meu Pai. 16Não fostes vós que me escolhestes, mas eu vos escolhi e vos mandei ir e produzir fruto, um fruto 
que dure. Então, meu Pai concederá tudo quanto pedirdes em meu nome. 17Isto vos ordeno: amai-vos uns aos outros.



Leituras: Diretório da Liturgia e da Organização da Igreja no Brasil 2019 - Ano C - São Lucas, Brasília, Edições CNBB, 2018.

Citações bíblicas: Bíblia Mensagem de Deus, São Paulo, Edições Loyola, 2016.

 


Boa Nova para cada dia



Amai-vos uns aos outros, assim como eu vos amei. (Jo 15,12b).

Nesta proposta de Jesus está a base de todo o relacionamento entre Ele e os discípulos e dos discípulos entre si.

Se não houver aceitação mútua entre os discípulos, não permanecerão unidos depois que Jesus subir ao céu.

Se não houver aceitação de Jesus por parte dos discípulos, base alguma existirá para dar início à Igreja que Jesus deseja fundar.

Se não houvesse, por parte de Jesus, a escolha daqueles discípulos, nem mesmo uma primeira comunidade da Igreja teria nascido. No entanto, Jesus é claro mostrando onde tudo começa:

“Não fostes vós que me escolhestes, mas fui eu que vos escolhi” (Jo 15,16a).

E Jesus poderia ter dito: “assim vos amei, escolhendo cada um de vós”.

É por este motivo, porque Jesus ama primeiro os discípulos, que eles correspondem ao amor de Jesus. Mas Jesus quer que este amor não seja concentrado apenas Nele, e sim no relacionamento mútuo entre os mesmos discípulos.

Mas perguntamos: o que resulta do amor de Jesus aos discípulos, e dos discípulos entre si?

O resultado é dito por Jesus com estas palavras:

 “... para que produzais fruto e o vosso fruto permaneça” (Jo 15,16b).

O que isto significa?

Isto quer dizer que os discípulos serão enviados como apóstolos de Jesus para anunciar ao mundo o Reino de Deus, e tendo feito isto, verão como o Reino de Deus acontece no mundo. Não por poder dos apóstolos, mas pelo poder de Deus mesmo que se torna eficaz precisamente porque os discípulos se amam mutuamente. Isto é: quem ouvir o anúncio do Reino de Deus se convencerá de que é verdade o que os discípulos anunciam ao mundo, pois vê como eles se amam.

Afinal: se o amor mútuo dos discípulos como Jesus os amou prova que o Reino de Deus é realidade entre os homens, é porque o Reino de Deus é o Reino do Amor de Deus.

Este era o ponto ao qual Jesus queria chegar.



Autor: Pe. Valdir Marques, SJ, Doutor em Teologia Bíblica pela Pontifícia Universidade Gregoriana de Roma





Preencha seus dados abaixo e receba as novidades da Loyola.
Nome:
E-mail:
  
Sobre a Edições Loyola | Serviços Gráficos | Fale Conosco | Distribuidores e representantes | Revista Mensageiro | Liturgia Diária | Eventos | Política de Vendas | Política de Privacidade

Rua: Mil Oitocentos e Vinte e Dois, 341 - Ipiranga
CEP: 04216-000 - São Paulo - SP
Tel.: 11 3385-8500 | 2063-4275 | 3385-8501
Formas de Pagamento
Acompanhe
Youtube  
Certificados
© 2011 Edições Loyola . Todos os direitos reservados
Visualize este site com resolução mínima de 1024 x 768
DesignbyC10