voltar Liturgia diária 01/08/2020 Sábado - 17ª Semana do Tempo Comum – Ano par

Primeira Leitura: Jr 26,11-16.24

11 Então os sacerdotes e os profetas disseram aos magistrados e a todo o povo: “Este homem é réu de morte, pois profetizou contra esta Cidade, como ouvistes com os vossos próprios ouvidos!”. 12 Então Jeremias falou aos magistrados e a todo o povo nestes termos: “Foi Javé quem me mandou profetizar contra esta Casa e esta Cidade tudo o que acabais de ouvir. 13 Agora, pois, corrigi a vossa conduta e as vossas ações e escutai a voz de Javé, vosso Deus, para que ele se arrependa do mal com que vos ameaçou. 14 Quanto a mim, estou em vossas mãos: tratai-me como vos parecer bom e justo. 15 No entanto ficai sabendo que, se me matardes, fareis cair o sangue dum inocente sobre vós e sobre esta capital e sobre seus habitantes, porque Javé realmente me mandou proclamar aos vossos ouvidos todas estas palavras”. 16 Então os magistrados e todo o povo observaram aos sacerdotes e profetas: “Este homem não merece a morte, pois falou-nos em Nome de Javé, nosso Deus”. 24 Mas Jeremias estava sob a proteção de Ahicam, filho de Safan, de modo que não caiu nas mãos do povo para ser morto.

 

Salmo: Sl 68(69),15-16.30-31.33-34 (R/. cf. 14)

R.: Ó Deus, na hora propícia  dirijo-te a minha súplica!

15 Retira-me deste pântano,  não possa ele tragar-me!  Liberta-me do inimigo,  do abismo de tantas águas. 16 Que as ondas não me arrebatem,  o vórtice não me engula!  Jamais a fossa consiga  fechar-se por sobre mim!

30 Curvado e ferido, eu veja  erguer-me, ó Deus, teu auxílio! 31 Ó Deus vou cantar teu nome,  exaltá-lo agradecido.

33 Humildes, vede e alegrai-vos;  renovem-se as vossas almas,  ó vós, que buscais a Deus! 34 Atende o Senhor aos pobres,  jamais despreza os cativos.

 

Evangelho: Mt 14,1-12

1 Naquele tempo chegou aos ouvidos do governador Herodes a fama de Jesus. 2 Então ele disse às pessoas de sua corte: “Este é o João Batista que ressuscitou dos mortos, e por isso é que o poder de fazer milagres está agindo nele”. 3 Com efeito, Herodes tinha mandado prender João e o jogara algemado na prisão por causa de Herodíades, mulher de seu irmão Filipe. 4 Porque João lhe dizia: “Não é permitido conservá-la como tua mulher”. 5 Herodes, embora o quisesse matar, estava, no entanto, com medo do povo, que o tinha na conta de profeta. 6 Ora, por ocasião do aniversário natalício de Herodes, a filha de Herodíades dançou em público, e tanto agradou a Herodes, 7 que ele prometeu, sob juramento, dar-lhe tudo o que pedisse. 8 Ela, instigada por sua mãe, respondeu: “Dá-me aqui, na bandeja, a cabeça de João Batista”. 9 O rei ficou triste. Contudo, por causa do juramento e dos convidados, ordenou que lhe fosse dada, 10 e mandou degolar João na prisão. 11 A cabeça dele foi levada numa bandeja e dada à jovem, que a levou para sua mãe. 12 Os discípulos de João foram buscar o corpo e o sepultaram. Depois, foram informar a Jesus.

Citações bíblicas: Bíblia Mensagem de Deus, São Paulo, Edições Loyola, 2016

 

Boa Nova para cada dia

“É João Batista, que ressuscitou dos mortos; e, por isso, os poderes miraculosos atuam Nele”. (Mt 14,2b).

                Mt 14,1-12 descreve a morte de São João Batista por ordem de Herodes Antipas.

                Conhecemos bem os motivos que Herodes teve para matar São João Batista, e como, de fato, o matou.

                Mas o Evangelho de hoje começa e termina referindo-se a Jesus.

                De fato, em Mt 14,2 Herodes declara que Jesus tem os poderes de fazer milagres como São João Batista que ele mandara matar.

                E no fim deste Evangelho (Mt 14,12c), está dito que os discípulos de São João Batista foram contar tudo sobre sua morte a Jesus.

                Portanto este Evangelho tem muito a ver com Jesus além de narrar a morte de São João Batista.

                Os habitantes de Nazaré sabiam que Jesus tinha feito milagres em outros lugares. Mas não os aceitaram como prova de que Jesus era o Messias conforme predito pelos profetas. Um destes milagres era a cura da cegueira, como está dito em Is 29,18; 35,5; 42,7. Os nazarenos permaneceram cegos por falta de fé em Jesus

                No entanto, Herodes, de quem não se poderia esperar fé em milagres de Jesus, é quem os afirma. Embora isto de nada tenha servido a Herodes, teve a finalidade que o autor deste Evangelho, São Mateus, quis lhe dar: um rei pecador reconhece em Jesus poderes miraculosos como os do profeta São João Batista. Jesus, para Herodes, era um profeta. Mas não foi reconhecido como profeta pelos seus concidadãos de Nazaré (Mt 13,57).

                Pensemos nestas atitudes contrárias: as dos nazarenos e a de Herodes Antipas.

                Vejamos de que lado estamos. Nós, de fato, podemos esquecer a importância que Jesus tem para nós enquanto Messias e Profeta. Estaremos assim do lado dos nazarenos. Mas reconhecemos nele o poder que Deus Lhe deu como Messias e Profeta.

Perguntemos: o que Jesus significa para nós enquanto Messias e Profeta?

Nossa instrução religiosa nos dá respostas suficientes ou nisto somos ignorantes? Concluiremos que o Evangelho de hoje nos questiona sobre os conhecimentos que temos sobre Jesus Cristo. Não fiquemos atrás de Herodes.

Autor: Pe. Valdir Marques, SJ, Doutor em Teologia Bíblica pela Pontifícia Universidade Gregoriana de Roma