voltar Liturgia diária 18/05/2022 4ª-feira da 5ª Semana da Páscoa

BOA NOVA PARA CADA DIA. A LITURGIA DIÁRIA COMENTADA

Dia 18 - quarta-feira: At 15,1-6; Sl 121(122); Jo 15,1-8.

A encarnação do Verbo de Deus é iniciativa do Pai, por isso é que se diz que o Pai é o agricultor. É ele quem “planta” o Verbo nesse mundo. Os ramos, por sua vez, dão fruto na medida em que estão unidos à videira. O texto de hoje do evangelho é uma alegoria. A afirmação do v.1 parece apresentar a possibilidade de haver uma "videira falsa", uma vez que Jesus diz: eu sou a videira verdadeira. No entanto, o evangelho não informa explicitamente ao leitor do que, propriamente, se trata e o que seria essa suposta videira falsa. Jesus é o tronco ao qual os ramos, símbolo dos discípulos, estão ligados. Ligado à videira é que os ramos recebem a seiva que possibilita produzir bom fruto. Somente a videira pode dar vida aos ramos; somente Jesus pode dar verdadeira vida aos discípulos que nele produzem os frutos da caridade, do amor fraterno. Daí o apelo de Jesus de que os discípulos "permaneçam" nele. Nesses poucos versículos, o verbo "permanecer" aparece oito vezes. Com isso é apresentado o tema principal do trecho que estamos considerando: trata-se de aceitar se deixar habitar por Jesus e por sua palavra e viver a vida nele. Característica do discípulo é a comunhão com o Senhor, no Espírito Santo.

 

Autor: Pe. Carlos Alberto Contieri, biblista que estudou a Sagrada Escritura em países como Itália, Bélgica e Israel, atualmente é Diretor do Pateo do Collegio e Coordenador do Patrimônio Histórico e Cultural da Companhia de Jesus no Brasil.