Login  |   Cadastre-se   |   Fale Conosco  |   Trabalhe Conosco  |   Ajuda             Youtube  

19 de fevereiro de 2018
Carrinho Vazio
Você está em: Home >> Liturgia Diária


Compartilhe: Compartilhe no Facebook Compartilhe no Twitter

Liturgia do dia 19/02/2018


Leituras
Lv 19, 1-2.11-18
Sl 18(19),8.9.10.15 (R/. Jo 6, 63c)
Mt 25,31-46

1ª semana da Quaresma

Segunda-Feira

Primeira Leitura: Lv 19, 1-2.11-18

1 E Javé falou a Moisés, dizendo: 2”Fala a toda a comunidade de Israel: sede santos, porque eu sou santo, eu, Javé, vosso Deus.11 Não roubareis, não mentireis e não vos enganareis uns aos outros. 12 Não jurareis pelo meu Nome, mentindo: isto seria profanar o nome de vosso Deus. Eu sou Javé. 13 Não oprimireis vosso próximo e não o despojareis. O salário do mercenário não ficará convosco até o dia seguinte. 14 Não proferireis maldição contra um surdo e não poreis diante de um cego algo que possa fazê-lo cair; respeitareis vosso Deus. Eu sou Javé. 15 Não cometereis injustiça nos julgamentos: não tomarás o partido do pobre que não tiver razão e não serás complacente para com o poderoso; mas julgarás teu compatriota com justiça. 16 Não semearás a difamação no meio de teu povo. Não te apresentarás como testemunha contra o sangue de teu próximo. Eu sou Javé. 17 Não odiareis vosso irmão em vosso coração; mas repreendereis vosso próximo, a fim de que não carregueis um pecado por causa dele. 18 Não vos vingareis e não guardareis rancor contra os filhos de vosso povo. Amareis vosso próximo como a vós mesmos. Eu sou Javé.

Salmo: Sl 18(19),8.9.10.15 (R/. Jo 6, 63c)

R. Ó Senhor, vossas palavras são espírito e vida!

8 Sim, a lei do Senhor é sem defeito, ela conforta a alma. Seguro é o testemunho do Senhor, torna sábios os simples.

9 As normas do Senhor são todas justas, ao coração alegram. É reto o mandamento do Senhor, clareia os nossos olhos.

10 O temor do Senhor é o que há de puro, para sempre nos firma. São os seus julgamentos verdadeiros, todos eles justiça.

15 Agradem-te as palavras dos meus lábios, voz do meu coração. Cheguem sempre, Senhor, diante de ti, Redentor e Rochedo!

Evangelho: Mt 25,31-46

Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos: 31 Quando o Filho do homem vier gloriosamente, acompanhado por todos os seus anjos, sentará no seu trono glorioso. 32 Diante dele estarão reunidas todas as nações, e ele separará os homens uns dos outros, como o pastor separa as ovelhas dos cabritos. 33 Colocará as ovelhas à sua direita e os cabritos à esquerda. 34 Então, o rei dirá aos que estiverem à sua direita: ‘Vinde, benditos de meu Pai! Recebei em herança o Reino que vos está preparado desde a criação do mundo. 35 Porque tive fome e me destes de comer. Tive sede e me destes de beber. Era um estrangeiro e me acolhestes. 36 Estava nu e me vestistes, doente e me visitastes, na prisão e me viestes ver’. 37 E lhe responderão os justos: ‘Senhor, quando foi que te vimos com fome e te demos de comer, ou com sede e te demos de beber? 38 Estrangeiro e te recolhemos? Nu e te vestimos? 39 Doente ou na prisão e fomos te visitar?’ 40 O rei responderá: ‘Eu vos declaro esta verdade: cada vez que fizestes isso a um dos menores desses meus irmãos, a mim o fizestes’. 41 Em seguida, ele dirá aos que estiverem à sua esquerda: ‘Afastai-vos de mim, malditos, para o fogo eterno preparado para o Diabo e seus anjos! 42 Porque tive fome e não me destes de comer, tive sede e não me destes de beber. 43 Era um estrangeiro e não me acolhestes. Estava nu e não me vestistes, doente e na prisão e não viestes me visitar’. 44 Eles também perguntarão: ‘Senhor, quando é que te vimos com fome ou com sede, ou estrangeiro ou nu, ou doente ou na prisão, e não te prestamos assistência?’ 45 Ele responderá: ‘Eu vos declaro esta verdade: o que não fizestes a um desses pequeninos, não o fizestes a mim’. 46 Estes irão para o suplício eterno e os justos para a vida eterna”.

Leituras: Diretório da Liturgia e da Organização da Igreja no Brasil 2018 - Ano B - São Marcos, Brasília, Edições CNBB, 2017.

Citações bíblicas: Bíblia Mensagem de Deus, São Paulo, Edições Loyola e Editora Santuário, 2016.

Boa Nova para cada dia

“Vinde benditos de Meu Pai! Recebei como herança o Reino que Meu Pai vos preparou desde a criação do mundo!”. (Mt 25,34bcd).

Temos dificuldade em nos converter de nossos pecados e em fazer uma confissão no Tempo da Quaresma porque o medo de Deus pode nos dominar.

Ora, ninguém se converte de verdade por medo de Deus.

A conversão verdadeira é a que brota de nosso coração cheio de amor por Deus.

Se nosso coração não tem amor por Deus, antes de mais nada precisamos pedir-Lhe que nos mude do medo para a alegria da esperança no perdão. Devemos nos convencer de que antes que nos movamos por amor a Deus a Lhe pedir perdão, Ele mesmo nos antecedeu esperando nossa chegada, com todo amor que o pai do filho pródigo demonstrou por ele.

Perguntamos, então, por qual motivo Jesus fez o discurso tão ameaçador que São Mateus registou em seu Evangelho, em Mt 25,31-46?

A finalidade, motivada pela santidade, bondade e prudência divinas, é a de atingir os corações empedernidos, isto é, petrificados e obstinados no pecado. Se não houvesse gente assim neste mundo, Jesus teria omitido a parte ameaçadora de seu discurso. Ele é muito claro: nem todos se salvarão, mas muitos irão para o fogo eterno.

Isto quer dizer que quando chegar o Dia do Senhor, o fim do mundo, devemos saber que nem todos os convidados a aceitar Jesus Cristo o aceitaram. Haverá muita gente que rejeitou o Evangelho e que não se considera pecadora por isso.

A Graça de Deus, no entanto, não se imobiliza. Deus não se cansa de cuidar da humanidade que criou e que ama. Por isso um último aviso para a conversão nos é dado em Mt 25.

Consideremos nossa condição de pecadores e por amor a Deus nos convertamos.

Consideremos a condição de um grande número de pessoas que não quer a conversão, sem entender que assim irão para o castigo eterno.

Nossa caridade, neste Tempo de Quaresma, seja o convite à conversão dos pecadores que conhecemos, os que há anos estão afastados da Igreja. Esta é uma das grandes obras de misericórdia espirituais, que, cumpridas, nos aproximam do amor de Deus e nos torna felizes.

Autor: Pe. Valdir Marques, SJ, Doutor em Teologia Bíblica pela Pontifícia Universidade Gregoriana de Roma.





Preencha seus dados abaixo e receba as novidades da Loyola.
Nome:
E-mail:
  
Sobre a Edições Loyola | Serviços Gráficos | Fale Conosco | Distribuidores e representantes | Revista Mensageiro | Liturgia Diária | Eventos | Política de Vendas | Política de Privacidade

Rua: Mil Oitocentos e Vinte e Dois, 341 - Ipiranga
CEP: 04216-000 - São Paulo - SP
Tel.: 11 3385-8500 | 2063-4275 | 3385-8501
Formas de Pagamento
Acompanhe
Youtube  
Certificados
© 2011 Edições Loyola . Todos os direitos reservados
Visualize este site com resolução mínima de 1024 x 768
DesignbyC10